Características e Propriedades da Sílaba

Postado em Atualizado em

Na maioria dos casos, os falantes não encontram dificuldades para segmentar o discurso em sílabas, pois há várias situações de uso da língua em que a consciência da sílaba é exigida. Isso ocorre, por exemplo, quando o falante emite o discurso em pequenos segmentos para enfatizar a mensagem ou para discriminar melhor sua pronúncia.

De-va-gar.

Cal-ma.

Ne-ga-ti-vo.

No discurso escrito, as palavras podem ser segmentadas para acomodar melhor o texto no final da linha tipográfica. Esse processo, conhecido como hifenização, segmenta as palavras preservando as sílabas. Quando segmentamos o discurso em sílabas percebemos as dificuldades que envolvem uma definição rigorosa dessa unidade formal. São dificuldades semelhantes às encontradas na definição de palavra. Vejamos, na seqüência, características relevantes das sílabas.

Vamos começar pelas características básicas para, em seguida, aprofundar a análise. A sílaba resulta da segmentação do discurso em nível fonológico, portanto não é unidade significativa. A sílaba se compõe de um número reduzido de fonemas, que varia geralmente entre um e cinco. As sílabas com vogal são a quase totalidade e, nesse caso, só uma vogal está presente.

Pronunciabilidade

A sílaba é pronunciável. Observe a segmentação a seguir:

P-r-a-g-a.

Neste caso, não temos uma segmentação em sílabas porque alguns segmentos não podem ser pronunciados isoladamente como /p/ ou /g/.

Unidade mínima livre de pronúncia

Os fonemas são as unidades mínimas da fonologia e não admitem segmentação, tanto que não existe nível de análise do discurso inferior ao de fonema. Já a sílaba pode ser formada por mais de um fonema. É divisível, portanto. A sílaba é uma unidade formal, mas em outro sentido. Considere a série de sílabas a seguir:

/pá/, /pé/, /pi/, /pó/, /pu/.

Se desmembrarmos as sílabas apresentadas em segmentos menores, certamente poderemos pronunciar alguns desses segmentos como:

/á/, /é/, /i/, /ó/, /u/.

No entanto, não será possível pronunciar isoladamente o fonema /p/. Os segmentos da série são mínimos no aspecto da pronúncia, no sentido de que um desmembramento adicional gera segmentos impronunciáveis.

Considere outra série de sílabas:

/fã/, /vá/, /sé/

Neste caso, é possível desmembrar as sílabas em segmentos menores, todos pronunciáveis. É possível pronunciar isoladamente /f/, /v/, /s/, /ã/, /á/ e /é/. No entanto, praticamente não encontramos situações em que /f/, /v/ e /s/ ocorrem em condição de independência. A ocorrência desses fonemas é condicionada à presença simultânea de outros fonemas adjacentes. Em outras palavras: são ocorrências presas. O desmembramento das sílabas desta série em segmentos menores gera itens pronunciáveis, mas nem todos são formas livres.

Para ser caracterizado como sílaba o segmento deve ser livre e mínimo do ponto de vista da pronúncia.

Todo fonema pertence a uma sílaba

A divisão silábica deve ser feita de tal maneira que todos os fonemas do discurso pertençam a uma sílaba. Veja o exemplo:

* P-ra-to.

A segmentação gerou as sílabas /Rá/ e /tô/ que ocorrem comumente em língua portuguesa. No entanto, deixou o fonema /p/ isolado, logo a divisão silábica falhou. O correto, neste caso, é a divisão:

Pra-to.

Fonemas agrupados em torno de vogal

Há casos raros de sílabas sem vogal como, por exemplo:

Pst.

No entanto, a quase totalidade das sílabas apresenta uma e só uma vogal. Podemos dizer que a vogal é a base da sílaba. Essa característica está ligada à pronunciabilidade. É a vogal que dá suporte à realização dos outros fonemas da sílaba. É como se os demais fonemas se apoiassem na vogal para serem pronunciáveis.

Alguns foneticistas propõem que nos casos raros em que a sílaba não apresenta vogal, há uma consoante desempenhando a função de vogal, ou seja, viabilizando a pronúncia dos demais fonemas da sílaba.

A sílaba admite apenas uma vogal. Quando uma sílaba apresenta dois fonemas com características de vogal, só um será emitido com qualidade vocálica plena. Os outros serão emitidos de forma diferenciada e classificados como semivogais. A semivogal é uma emissão vocálica minimizada, digamos, pela presença de uma vogal adjacente.

Unidade de emissão do aparelho fonador

Alguns foneticistas propõem que a sílaba é a unidade de emissão do aparelho fonador. Ao que tudo indica, existe correspondência entre os movimentos musculares do aparelho fonador e a emissão de sílabas. Nesse sentido, a sílaba é a unidade fisiológica de pronúncia. O que caracteriza a sílaba na abordagem fisiológica é a emissão de um conjunto de fonemas em um único movimento expiratório do aparelho fonador.

Propriedades da sílaba

A divisão silábica pode ser o elemento diferencial entre duas palavras, como no caso a seguir:

Ele sabia de tudo.

Canto do sabiá.

A principal diferença entre as palavras em negrito está na divisão silábica. Na palavra /sá-‘bya/ temos duas sílabas e na palavra /sá-bi-‘á/ temos três. Na palavra de duas sílabas, a vogal /i/ se reduziu a semivogal, em função de estar na mesma sílaba que /á/.

Analisando as possibilidades de organização das sílabas da língua portuguesa chegamos ao seguinte quadro:

Fonemas Arranjo * Exemplos

3

CCV

Pra-ga, tro-te, cra-te-ra.

CSV

ín-dio, có-pia.

CVC

Foz, cortês, descurvar.

CVS

Vai, réu, caução.

SVS

Uai.

VCC

Abs-tra-to.

4

CCVC

Gris, tris-te.

CCVS

Um-bral, plau-sí-vel, gnai-sse.

CSVS

En-xa-güei.

CVCC

Fê-nix.

CVSC

Meus, nor-mais.

* C=Consoante, S=Semivogal e V=Vogal.

Outras combinações são possíveis, mas raras em nosso idioma. A palavra script (s-cript), por exemplo, apresenta sílaba com a combinação CCVCC.

Sílabas com consoantes são bastante raras em nossa língua. São exemplos:

S-tress

S-cript

Algumas combinações com número alto de fonemas admitem pronúncias variantes em que a sílaba é dividida em duas como a seguir:

en-xa-güei ou en-xa-gü-ei.

A análise das combinações de fonemas em sílabas nos permite algumas conclusões:

  • A vogal é a base da sílaba. Em torno dela gravitam semivogais e consoantes.

  • As semivogais se ligam diretamente a uma vogal, antes ou depois desta.

  • A consoante pode ocorrer adjacente a outra consoante, mas não há sílabas com três consoantes seguidas.

  • A consoante se liga a outra consoante, a uma semivogal ou à vogal.

A partir das regras anteriores de formação de sílabas podemos chegar a um modelo geral para a composição da sílaba:

(C)(C)(S)V(S)(C)(C)

Veja exemplos de aplicação do modelo.

  (C) (C) (S) V (S) (C) (C)  
        a   b   dicar
bu       e i     ro
  p r   a       ga
    c   o   r   tês
        a   b s trato
  t r   i   s   te
  p l   a u     sível
enxa   g ü e i      
nor   m   a i s    
com p r   a i s    
s c r   i   p t  

fonte: Radamés Manosso

 

Anúncios

Um comentário em “Características e Propriedades da Sílaba

    kennnnety disse:
    4 dezembro, 2007 às 2:08 pm

    bem interessante so que devia ter exercicios para praticar.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s