O Internetês

lingua portuguesaQuem gosta da internet e a utiliza com certa freqüência já deve ter observado uma “novidade lingüística” bem marcante, que vem provocando boas discussões.

São comuns, principalmente entre os mais jovens, o uso de palavras abreviadas e o desrespeito às normas ortográficas vigentes: “tb axo q vc naum deve viaja pq tá xato” (também acho que você não deve viajar porque está chato).

Quanto às abreviações, sinto informar aos nossos adolescentes que se trata de uma “novidade velha”. Quando fiz meu curso de letras (fins da década de 60 e início da de 70), abreviar já era hábito. Só assim conseguíamos anotar os ensinamentos de nossos mestres universitários. Era uma “taquigrafia” necessária: tb (também), q (que), vc (você), pq (porque)…

O uso da letra “m” para substituir o til (naum = não) é um retorno às nossas raízes. Para quem não sabe, a origem do til é a letra “n”. Observe duas curiosidades:

1ª) em espanhol, o nosso VERÃO é “verano” e a forma verbal PÕE (do verbo PÔR) é “pone” (do verbo “PONER”);

2ª) o ditongo nasal decrescente /ão/ pode ser grafado “ão” (estão, cantarão) ou “am” (falam, cantaram), conforme a tonicidade.

A grafia fonética (axo, xato) já é defendida por muita gente, mas essa brincadeira pode criar vícios irreversíveis. Em textos oficiais, todos nós devemos seguir o sistema ortográfico vigente, que é baseado não só na fonética mas também na etimologia (origem das palavras).

A verdade é que nós sabemos ortografia por memória visual, e não por “decoreba” de regrinhas. Ninguém perde tempo pensando se HOJE tem “h” ou não, se CASA é com “s” ou “z”, se CACHORRO é com “x” ou “ch”. O que nos faz saber ortografia é a leitura e o bom hábito de escrever. Não temos dúvida na hora de escrever palavras usuais, aquelas que vemos e escrevemos com freqüência. Isso significa que a visualização e o uso constante das palavras fora da grafia oficial podem criar “dúvidas eternas”.

O uso de por ESTÁ é uma tendência da linguagem coloquial brasileira. É marca da nossa oralidade. Outra característica da nossa língua oral é a omissão do “r” no infinitivo dos verbos (vou falá, vendê, parti). É um fenômeno chamado apócope (perda de fonema no fim do vocábulo). Isso ocorreu, por exemplo, na evolução dos verbos latinos, que terminavam em “are”, “ere”… e perderam o fonema vocálico final. Hoje, em Português, o infinitivo dos verbos termina no “r” (vou falar, vender, partir).

Tudo isso pode ser muito interessante e criativo, mas é preocupante. A nossa garotada precisa estar consciente de que esta forma de linguagem é grupal, é localizada, é adequada unicamente numa situação específica. É preciso que saibam que a linguagem da maioria, dos textos oficiais, da vida profissional é a língua padrão. E a escola não pode se omitir: é lá que os jovens poderão entrar em contato e conhecer a língua padrão.

Todas as formas de linguagem são válidas e adequadas a cada situação, inclusive a língua padrão. Como diz nosso mestre e acadêmico Evanildo Bechara: “É preciso sermos poliglotas dentro da nossa própria língua”.

fonte: Prof. Sérgio Nogueira Duarte

Tech Tags:

Anúncios

21 comentários em “O Internetês

  1. O internetês é um tema da minha monografia, e o que concluimos é saber usar no seu devido meio, pois se vc n usa no ambiente propicio, somos tidos como estranhos na “aldeia”, ou seja, n sabemos de nada. Então, p evitar transtorno e sermos aceitos, porque n aprendermos essa nova linguagem?

  2. Olá, fico felíz por existir sites que trata desse assunto, pois, sabemos que, o internetês divide opiniõe. Mas, temos que ter conciência de que essa realidade está no nosso dia-a-dia. Eu porém, sou estudante do último período do curso de Letras, e, junto à minha equipe, estamos trabalhando o nosso TCC cujo tema: Internetês. E, posso afirmar que estou muito felíz por está aprofundando os meus conhecementos nesse mundo mágico da internete. Gostaria de pedir que me mande algo sobre a interferência do internetês na linguagem escrita dos adolescentes no ensino médio. Um abraço para os assiantes e visitantes deste site.

  3. Querida, Mtmzk:
    Não seria provocação você também, por exemplo, entrar em uma sala de bate-papo e usar um português cheio de acertos e acentos?!

    Kelly, legal seu comentário só que eu não sou a Mtmzk ( do blogue Blogo Aqui)…
    Valeu

  4. olá, boa noite, estou fazendo um estudo sobre o internetês, o tema da monografia que estou desenvolvendo é este. Se alguém puder compartilhar algum material sobre a influència dessa linguagem nos adolescentes por favor enviar e-mail para anaguivi@yahoo.com.br

  5. Bom dia!!!

    Gostaria muito de saber mais a respeito da influência do internetês na linguagem escrita dos alunos de ensino médio, pois é sobre esse tema q pretendo fazer meu TCC.

    se puder me mandar mais informações, meu e-mail é joici_stm@hotmail.com

    desde já agradeço.

  6. oi ,estou no 6º semestre de letras e estou elaborando o meu tcc sobre o internetes .. gostaria de mais material se vc puderem me enviar …agradeço….abraços

  7. adorei pois e muito importante fica por dentro das novidades da informatica , tb seria ruim fica horas escrevendo uma mensagem que pode se escritas em minutos

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s