Concordância Nominal

Postado em

1. Substantivo + Substantivo… + Adjetivo

Quando o adjetivo posposto se refere a dois ou mais substantivos, concorda com o último ou vai facultativamente:

* para o plural, no masculino, se pelo menos um deles for masculino;
* para o plural, no feminino, se todos eles estiverem no feminino.

Exemplos:
Ternura e amor humano.
Amor e ternura humana.
Ternura e amor humanos.
Carne ou peixe cru.
Peixe ou carne crua.
Carne ou peixe crus.

2. Adjetivo + Substantivo + Substantivo + …

Quando o adjetivo anteposto se refere a dois ou mais substantivos, concorda com o mais próximo.

Exemplos:
Mau lugar e hora.
Má hora e lugar.

3. Substantivo + Adjetivo + Adjetivo + …

Quando dois ou mais adjetivos se referem a um substantivo, este vai para o singular ou plural.

Exemplos:
Estudo as línguas inglesa e portuguesa.
Estudo a língua inglesa e (a) portuguesa.
Os poderes temporal e espiritual.
O poder temporal e (o) espiritual.

4. Ordinal + Ordinal + … + Substantivo

Quando dois ou mais ordinais vêm antes de um substantivo, determinando-o, este concorda com o mais próximo ou vai para o plural.

Exemplos:
A primeira e segunda lição.
A primeira e segunda lições.

5. Substantivo + Ordinal + Ordinal + …

Quando dois ou mais ordinais vêm depois de um substantivo, determinando-o, este vai para o plural.

Exemplo:
As cláusulas terceira, quarta e quinta.

6. Um e outro / Nem um nem outro + Substantivo

Quando as expressões “um e outro”, “nem um nem outro” são seguidas de um substantivo, este permanece no singular.

Exemplos:
Um e outro aspecto.
Nem um nem outro argumento.
De um e outro lado.

7. Um e outro + Substantivo + Adjetivo

Quando um substantivo e um adjetivo vêm depois da expressão “um e outro”, o substantivo vai para o singular e o adjetivo para o plural.

Exemplos:
Um e outro aspecto obscuros.
Uma e outra causa juntas.

8. “O (a) mais … possível” – “Os (as) mais … possíveis” – “O (a) pior … possível” – “Os (as) piores …” – “O (a) melhor … possível” – “Os (as) melhores … possíveis”

O adjetivo “possível”, nas expressões “o mais …”, “o pior …”, “o melhor …” permanece no singular.

Com as expressões “os mais …”, “os piores …”, “os melhores …”, vai para o plural.

Exemplos:
Os dois autores defendem a melhor doutrina possível.
Estas frutas são as mais saborosas possíveis.
Eles foram os mais insolentes possíveis.
Comprei poucos livros, mas são os melhores possíveis.

9. Particípio + Substantivo

O particípio concorda com o substantivo a que se refere.

Exemplos:
Feitas as contas …
Vistas as condições …
Restabelecidas as amizades …
Postas as cartas na mesa …
Salvas as crianças …

Observação:
“Salvo”, “posto” e “visto” assumem também papel de conectivos, sendo, por isso, invariáveis:
Salvo honrosas exceções.
Posto ser tarde, irei.
Visto ser longe, não irei.

10. Anexo / bastante / incluso / leso / mesmo / próprio + Substantivo

Fonte de consulta: PUC Rio Grande do Sul

Essas palavras concordam com o substantivo a que se referem.

Exemplos:
Vão anexas as cópias.
Recebi bastantes flores.
Vão inclusos os documentos.
Cometeu um crime de lesa-pátria.
Cometeu um crime de leso-patriotismo.
Ele mesmo falou aquilo.
Ela mesma falou aquilo.
Elas próprias falaram aquilo.

11. Meio (= metade) + Substantivo

O adjetivo “meio” concorda com o substantivo a que se refere.

Exemplos:
Meias medidas.
Meio litro.
Meia garrafa.

12. Meio (= um tanto) + Adjetivo

O advérbio “meio”, que se refere a um adjetivo, permanece invariável.

Exemplos:
Ela parecia meio encabulada.
Janela meio aberta.

Observações:

1. Na fala, observam-se exemplos do advérbio “meio” flexionado. Tal fato pode ser explicado pelo fenômeno da “concordância atrativa”, ou por influência do adjetivo a que se refere: “Ela está meia cansada”.

Dessa concordância existem exemplos entre os clássicos: “Uns caem meios mortos”. (Camões)

2. Em “meio-dia e meia”, “meia” concorda com a palavra “hora”, oculta na expressão “meio-dia e meia (hora)”. Essa é a construção recomendada pela maioria dos manuais de cultura idiomática.

A construção “meio-dia e meio” também ocorre na fala; a forma “meio” permanece no masculino, por atração ou influência da forma masculina “meio-dia”.

3. A palavra “meio” funciona como elemento de justaposição em “meias-luas”, “meios-termos”, “meios-tons”, “meia-idade”, etc.

13. Verbo transobjetivo + predicativo do objeto + objeto + objeto …
Verbo transobjetivo + objeto + objeto … + predicativo do objeto

Verbo transobjetivo é o verbo que pede, além de um complemento-objeto, uma qualificação para esse complemento (= predicativo do objeto).

Nesse caso, o predicativo concorda com o(s) objetos.

Verbo transobjetivo + predicativo do objeto + objeto + objeto …
Julgou
Considerei
Achei inocentes
oportunas
simpáticos o pai e o filho
a decisão e a sugestão
a irmã e o irmão

Verbo transobjetivo + objeto + objeto … + predicativo
Julgou
Considerei
Achei o pai e o filho
a decisão e a sugestão
a irmã e o irmão inocentes
oportunas
simpáticos

14. Casa, página (+ número) + numeral

Na enumeração de casas e páginas, o numeral concorda com a palavra oculta “número”.

Exemplos:
Casa dois.
Página dois.

15. Substantivo + é bom / é preciso / é proibido

Em construções desse tipo, quando o substantivo não está determindado, as expressões “é bom”, “é preciso”, “é proibido” permanecem no singular.

Exemplos:
Maçã é bom para a saúde.
É preciso cautela.
É proibido entrada.

Observação:
Quando há determinação do sujeito, a concordância efetua-se normalmente:
É proibida a entrada de meninas.

16. Pronome de tratamento (referindo-se a uma pessoa de sexo masculino) + verbo de ligação + adjetivo masculino

Quando um adjetivo modifica um pronome de tratamento que se refere a pessoa do sexo masculino, vai para o masculino.

Exemplos:
Sua Santidade está esperançoso.
Referindo-se ao Governador, disse que Sua Excelência era generoso.

17. Nós / Vós + verbo + adjetivo

Quando um adjetivo modifica os pronomes “nós / vós”, empregados no lugar de “eu / tu”, vai para singular.

Exemplos:
Vós (= tu) estais enganado.
Nós (= eu) fomos acolhido muito bem.
Sejamos (nós = eu) breve.

Anúncios

Um comentário em “Concordância Nominal

    Helenice disse:
    9 janeiro, 2009 às 4:00 pm

    Olá!
    Tenho uma dúvida cruel me consumindo:
    No livro “O evangelho segundo Jesus Cristo” de José Saramago há a palavra BASTANTES.

    Perguntei a uma colega prof. de Português e esta me informou qUE bastante não varia em número.

    Será a variação influência do português de Portugal?

    Agradeço muitíssimo se minha dúvida for sanada!

    Um abraço Helenice
    Prof. de Biologia

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s