Os Usos da Vírgula

Postado em

Emprego da vírgula no período simples:

Quando se trata de separar termos de uma mesma oração, deve-se usar a vírgula nos seguintes casos:

1. Para isolar adjuntos adverbiais deslocados: Adjuntos adverbiais são termos de valor adverbial que denotam alguma circunstância do fato expresso pelo verbo ou intensifica o sentido deste, ou de um adjetivo, ou de um advérbio. As principais circunstâncias são as de tempo, lugar, causa, modo, meio, afirmação, negação, dúvida, intensidade, finalidade, condição, assunto, preço, etc…

Os adjuntos adverbiais estarão deslocados quando estiverem no início ou no meio do período. Em alguns casos, a vírgula não será obrigatória, pois, às vezes, ela tira a linearidade, eliminando, assim, a clareza da frase.

O parágrafo anterior pode servir-nos de exemplo para o que acabamos de ler: a não-obrigatoriedade da vírgula. O último período também poderia ser escrito assim: “Em alguns casos a vírgula não será obrigatória, pois às vezes ela tira a linearidade, eliminando assim a clareza da frase”. Vejamos alguns exemplos de adjuntos adverbiais separados por vírgula:

A maioria dos alunos, durante as férias, viajam.

Desde o ano passado, enfrento problemas com meu computador.

2. Para isolar os objetos pleonásticos: Haverá objeto pleonástico quando um verbo possuir dois complementos que se referem a um elemento só. Por exemplo:

Os meus amigos, sempre os respeito.

Aos devedores, perdoe-lhes as dívidas.

3. Para isolar o aposto explicativo:

Ex. Londrina, a terceira cidade do Sul do Brasil, é aprazibilíssima.

4. Para isolar o vocativo:

Ex. Adalberto, Traga meus documentos até aqui!

5. Para isolar predicativo do sujeito deslocado, quando o verbo não for de ligação:

Ex. Os jovens, revoltados, retiraram-se do recinto.

6. Para separar elementos coordenados: Elementos coordenados são enumerações de termos que exercem a mesma função sintática.

Ex. As crianças, os pais, os professores e os diretores irão ao convescote.

7. Para indicar a elipse do verbo: Elipse é a omissão de um verbo já escrito anteriormente.

Ex. Ela prefere filmes românticos; o namorado, de aventura. (o namorado prefere filmes de aventura)

8. Para separar, nas datas, o lugar:

Ex. Londrina, 18 de janeiro de 2001.

9. Para isolar conjunção coordenativa intercalada: As conjunções coordenativas que nos interessam para essa regra são porém, contudo, no entanto, entretanto, todavia, logo, portanto, por conseguinte, então.

Ex. Os candidatos, porém, não respeitaram a lei.

O candidato está bem preparado; tem, portanto, condições de ser contratado.

10. Para isolar as expressões explicativas isto é, a saber, melhor dizendo, quer dizer…:

Ex. Irei para Águas de Santa Brárbara, melhor dizendo, Bárbara.

11. Para separar frases iniciadas pelas expressões e sim, e não, mas sim:

Ex. Não haja com imprudência, e sim com moderação.

12. Para isolar adjetivo explicativo do substantivo qualificado por ele: Adjetivo explicativo é o que indica qualidade inerente ao ser, ou seja, qualidade que não pode ser retirada. Adjetivo restritivo é o que indica qualidade adicionada ao ser.

Ex. O homem, mortal, age como se fosse imortal.

Emprego da vírgula no período composto:

Período composto por coordenação: as orações coordenadas devem sempre ser separadas por vírgula. Orações coordenadas são as que indicam adição (e, nem, mas também), alternância (ou, ou … ou, ora … ora), adversidade (mas, porém, contudo…), conclusão (logo, portanto…) e explicação (porque, pois).

Ex. Todos gostamos de seus projetos, no entanto não há verbas para viabilizá-los

Nota: as orações coordenadas aditivas iniciadas pela conjunção e só terão vírgula quando os sujeitos forem diferentes ou quando o e aparecer repetido.

Ex. Ela irá no primeiro avião, e seus filhos no próximo.

Ele gritava, e pulava, e gesticulava como um louco.

Período composto por subordinação:

Orações subordinadas substantivas: não se separam por vírgula. As orações subordinadas substantivas são a que exercem a função de sujeito, objeto direto, objeto indireto, predicativo do sujeito, complemento nominal e aposto. Ex. É evidente que o culpado é o mordomo. (Que o culpado é o mordomo é oração que funciona como sujeito do verbo ser)

Orações subordinadas adjetivas: só a explicativa é separada por vírgula; a restritiva não. As orações subordinadas adjetivas são as iniciadas por um pronome relativo. A oração subordinada adjetiva explicativa é a que exerce a função de aposto explicativo. A oração subordinada adjetiva restritiva é a que exerce a função de adjunto adnominal.

Ex. Londrina, que é a terceira cidade do Sul do Brasil, é aprazibilíssima.

Obs.: Leia as frases abaixo:

I. Os Estados que devem ao governo terão o crédito cortado pelo Banco Central.

II. Os Estados, que devem ao governo, terão o crédito cortado pelo Banco Central.

No período I “que devem ao governo” é oração subordinada adjetiva restritiva, funciona como adjunto adnominal e significa que apenas alguns Estados devem ao governo. No período II “que devem ao governo” é oração subordinada adjetiva explicativa, funciona como aposto explicativo e significa que todos os Estados devem ao governo.

Orações subordinadas adverbiais: São separadas por vírgula quando estiverem no início ou no meio do período.

Ex. Assim que chegarem as encomendas, começaremos a trabalhar.

Prof. Dílson Catarino.

Tech Tags:

Anúncios

4 comentários em “Os Usos da Vírgula

    elisabetecunha disse:
    19 abril, 2007 às 5:55 pm

    Menino, isso me pega que é uma beleza………….
    bela dica
    🙂

    Edson Marques disse:
    19 abril, 2007 às 8:30 pm

    Uma aula!

    Magna…

    Se você não encontrar razões para ser livre, invente-as.

    abraços, flores, estrelas… e vírgulas!

    vânia disse:
    22 abril, 2007 às 10:41 am

    Vejo pessoas escreverem coisas absurdas nos sites da internet,por isto estou pesquisando o certo.Palavras sem acento…ou com ,ex;voce ou você? também já ví a barbaridade de escreverem voçe,nunca tinha visto você com ç…daí resolví pesquisar,pois faz muito tempo que parei de estudar,mas gosto de escrever corretamente,e aquí encontrei respostas para minhas dúvidas,já que só estudei até o segundo gráu[científico] nos anos setenta,e hoje ensino médio.Percebo que as pessoas que estudaram nesta época escrevem com mais cuidado,pois atualmente ,os jovens estão usando um dialeto virtual absurdo,e a maioria cursando o ensino médio ,nem sabe escrever.Lamentável !
    Obrigada pela oportunidade de me reciclar,abraços.
    Vânia Bretas-Juiz de Fora – MG

    Geovanna disse:
    8 abril, 2008 às 12:46 am

    Ua..
    super interessante!
    abraços, flores e beijos.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s